16 de set de 2014

Custos em Empresas de Serviços - Parte 2

+A -A +/-
Esta é a segunda postagem de um total de 4 onde apresentaremos, através de um estudo de caso, algumas dicas práticas de como calcular os custos de serviços de uma empresa (fictícia) do ramo de hotelaria. 

Nesta segunda parte veremos como identificar as atividades principais, os objetos de custos e os direcionadores de custos de uma empresa de serviços (...)



Etapa 1- Identificação das atividades relevantes e dos objetos de custos


Podemos definir Atividade como uma ação capaz de consumir recursos (materiais, mão-de-obra, etc.). É importante ressaltar que identificaremos apenas as atividades consideradas mais relevantes para que a empresa execute os seus serviços.

A divisão da empresa em departamentos (departamentalização) e setores ajudará na identificação das atividades-chaves.  Outra dica para facilitar neste método de identificação é criar um fluxograma do processo produtivo da empresa. Esta ferramenta mostrará também como os departamentos / setores interagem entre si.

Custos em Empresas de Serviços


Precisamos, agora, definir quais serão os objetos de custos. Lembremos que Objetos de Custos representam os produtos ou serviços que receberão os custos procedentes das atividades. Um objeto de custo pode ser qualquer coisa para a qual se deseja realizar uma avaliação de custos.

Em nosso estudo de caso específico, tomaremos como objeto de custos os alojamentos do Hotel QualquerUm. Vejam bem: não calcularemos os custos individuais por alojamento, que corresponde a um total de 10, mas vamos separá-los por tipos: Suítes Individual, Suítes Casal e Chalés. Estes, portanto, serão nossos objetos de custos.

Etapa 2 - Identificação dos direcionadores de custos


Conforme afirma Elizeu Martins em seu livro sobre custos, os direcionadores de custos são a espinha dorsal do sistema ABC.

As atividades precisam de recursos para serem desempenhadas; os objetos de custos se utilizam das atividades para serem produzidos. Então, a função dos direcionadores de custos é alocar os custos às atividades e estas aos objetos de custos.

As relações atividades/recursos e objetos de custos/atividades e seus respectivos direcionadores de custos estão representados através da figura 2 e 3 (abaixo).

Custos em Empresas de Serviços


Obs. Como já mencionamos em outras oportunidades, um mesmo recurso pode ser classificado como um custo direto (CD), indireto (CI) e/ou despesa (Desp).

Custos em Empresas de Serviços


Em síntese:
Direcionadores de recursos: alocam os recursos às atividades;
Direcionadores de atividades: alocam as atividades aos objetos de custos (produtos ou serviços).

Na parte 3, veremos mais dicas de como calcular os custos em uma empresa de serviços, especificamente, como alocar os custos às atividades. Até lá!

Clique aqui para acompanhar o nosso blog
(o que é acompanhar um blog?)

<< Parte 1 - Sistema de Custeio ABC e empresas de serviços

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também...