29/09/2010

Como calcular o capital de giro?

+A -A +/-
Nesta postagem mostraremos, através de uma fórmula matemática, como calcular o capital de giro necessário ao financiamento das atividades operacionais da empresa. Visando o melhor entendimento do assunto, não somente apresentaremos a fórmula, como também explicaremos cada parte dela.

São muitos os questionamentos sobre como se deve calcular a necessidade de capital de giro de uma empresa, portanto, estas dicas serão muito úteis para você.




Antes de continuar lendo dê uma olhada na postagem anterior sobre o que é capital de giro

Fórmula resumida:
NCG = CF x VD

Onde,
NCG = Necessidade de Capital de Giro
CF = Ciclo Financeiro (em dias)
VD = Vendas Diárias (valor)

Entendendo a fórmula:

Ciclo Financeiro – o conceito de ciclo financeiro, segundo Assaf Neto (2009), sintetiza muito bem a definição que muitos de nós já conhecemos: “identifica as necessidades de recursos da empresa que ocorrem desde o momento do pagamento aos fornecedores até o efetivo recebimento das vendas realizadas”. Gosto mais da definição de Gitman (2006). Para este o Ciclo de Conversão de Caixa (ou Ciclo Financeiro) representa o intervalo de tempo (em dias) em que os recursos da empresa ficam aplicados. Faz todo sentido! Veja o diagrama de fluxo de caixa abaixo.


O intervalo compreendido entre o momento da saída e da entrada de caixa corresponde ao Ciclo Financeiro ou Ciclo de Conversão de Caixa.
  
Fórmula do Ciclo Financeiro

CF = CO – PMP

Onde,
CO = Ciclo Operacional
PMP = Prazo Médio de Pagamento

Fórmula do Ciclo Operacional

CO = PME + PMF + PMV + PMR

Onde,
PME = Prazo Médio de Estoque
PMF = Prazo Médio de Fabricação
PMV = Prazo Médio de Vendas
PMR = Prazo Médio de Recebimentos

Então,
Fórmula expandida:
NCG = [(PME + PMF + PMV + PMR) – PMP] x VD


Índice

Fórmula

O que significa

PMEMP

Dividindo-se o “Consumo por período” (valor anual) pelo período que se quer (anual), convertido em dias, temos o valor da matéria-prima consumida por dia.

O “Saldo médio de estoques” (valor) representa a média dos saldos dos materiais estocados.

Então, ao dividirmos este saldo médio pelo valor consumido por dia, encontraremos o Giro de Estoque (tempo médio em que o estoque de produtos é renovado).

PMF
A aplicação prática desta fórmula é um pouco trabalhosa, portanto, a melhor forma de saber o prazo médio de fabricação é através do método taylorista de produção: cálculo de tempos e movimentos. Você irá medir o tempo de fabricação dos produtos em todo o ciclo produtivo.

PMV

Seguir o mesmo método do PMEMP: dividi-se o valor do saldo médio de estoque dos produtos acabados pelo valor médio diário das vendas (CMV ÷ período).

Lembre-se que esse “período” da fórmula é o período que se deseja (anual) convertido em dias, que é 360 dias.

PMR

O entendimento desta fórmula é simples.

Se, por exemplo, sua empresa mantém um saldo médio de duplicatas a receber de $1000,00 e tem uma venda média diária de $100,00 a prazo (Vendas a prazo anual ÷ período), então seu prazo médio de recebimentos será 10 dias.

É só mentalizar que suas vendas a prazo diárias se acumularão até o décimo dia, quando iniciará o processo de recebimentos das vendas dos primeiros dias. 

PMP
Seguir a mesma aplicação  do método anteriormente usado para PMR, apenas trocando duplicatas a receber por duplicatas a pagar, venda(s) por compra(s) e recebimentos por pagamentos.
                                                                                                     
 *período base para cálculo = ano




Dados:
Saldo médio de estoques de materiais – R$ 500,00
Consumo anual de matéria-prima – R$ 20.000,00
Período que se quer, convertido em dias: 1 ano = 360 dias

PMEMP =     500,00  =  9 dias
                20.000,00
                       360

Dados:
Prazo médio de fabricação encontrado – 3 dias

Dados:
Saldo médio de estoque de produtos acabados – R$ 800,00
Custo médio anual das mercadorias vendidas – R$ 30.000,00
Período que se quer, convertido em dias: 1 ano = 360 dias

PMV =    800,00 =  10 dias
            30.000,00
                  360

Dados:
Saldo médio de duplicatas a receber – R$ 2.100,00
Valor anual de vendas a prazo – R$ 25.000,00
Período que se quer, convertido em dias: 1 ano = 360 dias

PMR =    2.100,00  =  30 dias
             25.000,00
                   360

Dados:
Saldo médio de duplicatas a pagar – R$ 1.500,00
Valor anual de compras a prazo – R$ 20.000,00
Período que se quer, convertido em dias: 1 ano = 360 dias

PMP =    1.500,00  =  27 dias
             20.000,00
                   360

Dados:
Valor médio diário de vendas – R$ 100,00


Aplicando a fórmula:


NCG = [(PME + PMF + PMV + PMR) – PMP] x VD

NCG = [(9 + 3 + 10 + 30) – 27] x 100,00
NGC = $ 2.500,00
             

8 comentários:

  1. bom texto, e bem explicativo!
    parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Prezado João. Boa Noite!
    Gosto dos seus artigos, tem me ajudado em minhas reflexões. Mas, desculpe a minha ignorância, se eu estiver errado e me corrija por favor. A questão é a seguinte: O resultado final do cálculo realizado para descobrir o prazo médio de estoque não está errado... Pois em todas as contas que fiz só dá 9 e não 24. Onde estou calculando errado? Podes me orientar?

    ResponderExcluir
  3. Flavio, meu caro... corretíssima a sua obs.
    O cálculo estava equivocado mesmo. Já alterei. Obrigado pela dica e fico feliz por que o blog está sendo útil para você.

    ResponderExcluir
  4. Prezado João
    Esse método de apuração da NCG pelo CF, respeitosamente, e em minha opinião, encontra-se incompleto, pois, leva tão somente em consideração que a empresa tem como obrigação tão somente os fornecedores. Veja que ela também possui outros passivos circulantes como impostos, salários, etc. Também possui recursos no caixa. O professor Matarazzo nos ensina que deve-se somar a esse cáclulo o que ele chama de ajuste (A). Portanto a NCG seria = (CF x Vd) + A, sendo A: ajuste dos outros ativos circulantes diminuidos dos outros passivos circulantes, ou seja os ativos e passivos circulantes excluidas as contas de fornecedores, clientes e estoque. De uma pesquisada.
    Espero ter ajudado.
    Gustavo Raupp

    ResponderExcluir
  5. Acho que um errou no numero o outro achou que precisa de ajustes. Mas tá valendo a boa intenção! Creio que é errando e tentando que se ajusta e se aprende.
    Obrigada

    ResponderExcluir
  6. Cálculo útil principalmente para PME's que não utilizam o Balanço de forma Gerencial.

    ResponderExcluir
  7. Didática excelente, Parabéns

    ResponderExcluir

Leia também...